Brasil publica remuneração nominal de funcionários públicos.

  
Notícias boas ou úteis.

Brasil publica remuneração nominal de funcionários públicos.

Mensagempor Mochileiro » Sáb Jun 01, 2013 09:34

Em 2012, o Brasil começou a publicar a remuneração nominal de funcionários públicos. O Poder Executivo Federal foi um dos primeiros. Depois, o Judiciário seguiu a iniciativa. Em 2013, o Ministério Público também aderiu à ideia. Municípios e Estados estão cada vez mais adeptos dessa divulgação. Mas há setores, como o Militar, que ainda resistem à referida publicidade.

Links com publicação nominal de remuneração de funcionários públicos:

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul:
http://www.tjrs.jus.br/site/administracao/transparencia/fpp.html

Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina:
http://app.tjsc.jus.br/tjsc-consultarendimentos/#/consultarendimentos

Poder Executivo de Santa Catarina:
http://www.sef.sc.gov.br/transparencia/gasto-p%C3%BAblico/consultas/1560

Poder Executivo Federal:
http://www.portaltransparencia.gov.br/servidores/

Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul:
http://www.mp.rs.gov.br/transparencia/remuneracao?ano=2013&mes=5&tipo_folha=NORMAL

Cadastro de Expulsões da Administração Federal:
http://www.portaltransparencia.gov.br/expulsoes/entrada

Países que também divulgam salários de funcionários públicos: Estados Unidos, Inglaterra, Chile, Argentina, Canadá, Hugria. Confira uma notícia interessante sobre a área: http://exame.abril.com.br/brasil/politica/noticias/como-fazem-os-paises-que-divulgam-salarios-dos-servidores

Militares não divulgam salários, diplomatas no exterior pagam só 9% de Imposto de Renda e salários do Itamaraty no exterior chegam a R$ 58 MIL: http://disparidadesalarial.blogspot.com.br/

E as rendas privadas também serão divulgadas, a fim de também evitar o desperdício do dinheiro público que em razão de sonegação fiscal não entra no caixa público???
Mochileiro
 
Mensagens: 581
Registrado em: Dom Mai 27, 2012 11:40

Re: Brasil publica remuneração nominal de funcionários públi

Mensagempor Mochileiro » Qui Dez 08, 2016 11:43

Democracia ou ainda resquício do tempo em que amigos do rei eram mais beneficiados?

O País dos privilégios
Quem são os servidores públicos que ostentam supersalários e aposentadorias milionárias e custam ao País R$ 20 bilhões por ano


São casos que ameaçam o futuro das aposentadorias dos milhões de brasileiros que acordam às 5h da madrugada, passam três horas no ônibus superlotado para chegar ao trabalho, ralam mais de 8 horas por dia e ganha uma média salarial de R$ 2,2 mil, embora 60% da população recebam menos do que o salário mínimo (R$ 880). Esses depois de trabalharem por quase quatro décadas terão direito a uma remuneração mensal de máximo R$ 5 mil. Isso com a regra atual. A tendência é que a realidade se torne ainda mais perversa.

Além das aposentadorias e pensões nababescas, no Brasil dos privilégios, chama a atenção os supersalários pagos a integrantes do Legislativo, Executivo e Judiciário. O salário médio dos 18 mil magistrados do País já é bastante generoso e se sobrepõe ao teto constitucional de R$ 33.763 estabelecido para funcionalismo público: R$ 46 mil. Ou seja, é irregular. Mesmo assim, há desembargadores que recebem mais de R$ 200 mil num único mês. Um verdadeiro escárnio. O salário do atual ministro do Superior Tribunal de Justiça, Marco Aurélio Bellizze Oliveira, se situa no limite do teto. Bellizze ganha R$ 32.958, fora os benefícios. Em setembro de 2011, ao deixar o Tribunal de Justiça do Rio, embolsou quase R$ 1 milhão, em valores atualizados. Numa tacada só. Para a maioria dos brasileiros é como acertar os seis números da loteria.

Os supersalários custam ao País R$ 20 bilhões por ano. Compõem os vencimentos de integrantes da primeira classe do Judiciário penduricalhos injustificáveis como auxílio-moradia para quem inclusive já possui imóvel próprio, carro com motorista, cota de gasolina, auxílio alimentação, de transporte, plano de saúde, pagamento da escola particular para o filho, dinheiro para a compra de livros e computadores, pagamento de até 5 salários mínimos para quem adota uma criança, extras para quem dá aulas, além de aposentadorias vultosas e mais uma infinidade de benesses inalcançáveis ao cidadão comum. Com a incorporação de mordomias como essas ao salário, os desembargadores Osvaldo Moacir Alvarez e José Morschbacher, Tribunal Regional Federal, da 4ª Região (TRF-4), receberam mais de R$ 200 mil em abril de 2015.

Muitos magistrados não escondem a boa vida que levam. O desembargador Nagib Slaibi Filho, que ganhou R$ 66 mil em agosto, é casado com a juíza Maria Cristina Barros Slaibi, ambos do Rio, que em agosto recebeu R$ 46.055. Ou seja, os dois têm vencimentos acima do teto do funcionalismo. No Facebook, há registros de fotos de viagens do casal para Praga e Nova York. Por essa e por outras é que, apenas em 2017, o quebrado Estado do Rio vai gastar com privilégios para os membros do Tribunal de Justiça, do Ministério Público, do TCE e do Executivo, um total de R$ 2,1 bilhões. O TJ do Rio é o que oferece as mais inacreditáveis benesses. Há auxílio-creche de R$ 854 por filho até 6 anos e auxílio-educação de R$ 953 por filho até 24 anos (na faculdade), 180 dias de licença-maternidade (padrão) mais 90 de aleitamento e de três a cinco salários mínimos por adoção até o filho ter 24 anos. Os benefícios oferecidos com dinheiro público são como se os Orçamentos estaduais e da União fossem um manancial inesgotável de recursos. No TJ de Mato Grosso está em vigor um dos melhores planos de saúde do mundo, com gastos sem limites. Há ressarcimento para consultas particulares e até passagens de avião para custear tratamento de magistrados e dependentes em hospitais fora do Estado.



FONTE, em 08/12/2016: http://istoe.com.br/o-pais-dos-privilegios/
Mochileiro
 
Mensagens: 581
Registrado em: Dom Mai 27, 2012 11:40


Voltar para Notícias Boas ou Úteis.

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 0 visitantes

cron